Responsive image Responsive image
viking

Vikings


Por seis temporadas a saga do rei escandinavo Ragnar Lodbrok encantou os fãs na liderança do povo Viking. Temidos como grandes guerreiros, que tinham a guerra como uma religião, os Vikings carregam a fama de ladrões, estupradores e assassinos. Mas Michael Hirst tentou ao longo de oito anos, usando os benefícios da ficção, mostrar o lado mais cultural de um povo conhecido por suas lendas e histórias fantásticas, retratadas na série Vikings, para o canal pago History.


Vikings, uma das melhores séries da TV por assinatura.

History é uma rede de televisão por assinatura, cuja programação é focada essencialmente em conteúdos de teor histórico e científico, disponível em diversas partes do mundo.

Embora seus programas sejam o mais fiel possível aos fatos reais, a famosa série Vikings foge do padrão, mesmo por que é uma coprodução entre a Shaw Media, Octagon Films, Take 5 Productions e MGM Television, da Irlanda e do Canadá, portanto não exatamente da própria History.

A princípio, o History Channel encomendou “Vikings” como uma minissérie de nove episódios. No entanto, devido ao grande sucesso público e crítica fez com que eles decidissem avançar por mais seis temporadas, finalizada em 2020.

Criada por Michael Hirst, a série conta a saga do herói lendário nórdico Ragnar Lodbrok (Travis Fimmel), lembrado como o flagelo da Inglaterra e da França. A série acompanha as aventuras do fazendeiro que se tornou um poderoso guerreiro Viking por seus ataques bem-sucedidos na Inglaterra, um dos motivos para se tornar um Rei escandinavo, com ajuda de sua família como o irmão Rollo, seu filho Bjorn Flanco de Ferro, e suas esposas a escudeira Lagertha e a princesa Aslaug.

Vikings, invenção criativa sobre fatos históricos.

Vikings

Um dos pontos apontados pelos críticos de plantão é a falta de precisão histórica nos detalhes exibidos durantes as seis temporadas. O principal motivo para que isto ocorra é que os povos antigos europeus não eram de perpetuar na escrita seus feitos históricos, reservando a transmissão do conhecimento através da tradição oral. Além disto, o que existe de escrito são datados de 200 a 400 anos após os eventos reais.

Outro fato é que a produtora costuma produzir programas e séries que misturam a realidade com ficção com a dramatização dos eventos, deixando os conteúdos mais atraentes. Assim o autor faz o uso de alguma quantidade de invenção criativa para fazer a história funcionar para os padrões televisivos, com uma trama tão envolvente que esquecemos que estamos assistindo uma história baseada em fatos reais. O resultado chegou a ser comparada com “Game of Thrones”, série de gigantesco sucesso da HBO.

Mas mesmo assim as fontes históricas reconstruídas na série são bem educativas como a habilidade naval dos Vikings retratado na primeira temporada em que Ragnar encomenda a construção de um magnífico navio, que chamavam de Drakkar, e avança fora dos limites proibidos do Báltico sobre o mar do Norte, chegando à Inglaterra, iniciando a Era Viking.

O Drakkar tinha um desempenho excepcional tanto em águas profundas, como rasas que permitiam o acesso aos rios. O espaço interno era precisamente calculado para transporte de cargas e homens. A grande vela que ostentava era o segredo do sucesso da embarcação que contribui para as vitórias vikings, que aterrorizavam os mares ao exibirem uma cabeça de serpente marinha na proa.

Tirando os chapéus de chifres, fatos como o ataque impiedoso ao monastério da Nortúmbia na ilha de Lindisfarme com pilhagem e saques foram reais. Aliás, A guerra era algo muito importante na sociedade dos vikings, pois representava um papel religioso significativo.

Vikings, o outro lado da moeda.

Os Vikings povos de origem germânica, originados da Escandinávia, atual região da Noruega, Dinamarca e Suécia, sempre tiveram a reputação de ladrões, estupradores e assassinos. Mas Michael Hirst que escreveu todos os capítulos da série quis mostrar algo diferente deste povo, o lado de sua cultura e costumes.

Veja curiosidades da série Viking.

É bem verdade que eles quando invadiam outros reinos queriam riquezas, mas também, por causa do crescimento populacional, procuravam por outras terras mais férteis para colonizar e viver além de criar laços comerciais.

Os vikings eram politeístas e, portanto, acreditavam em mais de um deus. Odin e Thor eram os dois deuses mais famosos da “mitologia nórdica” – Thor, assim como Odin, habitava Asgard, conhecida entre os escandinavos como a morada dos deuses. Se assim for, curiosamente Thor e Odin são os mesmos personagens tratados no Universo Marvel.

A série Vikings recebeu durante sua trajetória diversos prêmios que a tornou uma das mais recomendadas para ser assistidas disponíveis na Netflix e Amzon Prime Vídeo.

VEJA OUTROS DESTAQUES NETFLIX