Oscar Netflix

E o Oscar vai para a… Netflix


Planejamento estratégico é o método que empresas e pessoas utilizam para obter um resultado positivo rápido. Foi neste foco que a Netflix se transformou da noite para o dia em uma das maiores produtores e distribuidoras de filmes de alta qualidade. O melhor caminho foi chegar as indicações e premiações anuais como o Oscar quebrando paradigmas e derrubando preconceitos. Em 2019 com Roma foi a consolidação, com dez indicações ganhando três Oscars. Agora, em 2020 a confirmação concorrendo em diversas categorias com produções como O Irlândes, Dois Papas, História de um Casamento, Klaus e Perdi Meu Corpo. A plataforma de vídeo pela Internet reescreveu as regras de Hollywood.


Netflix e o Oscar: Quebrando paradigmas

Quem viu a Netflix nascer, não percebeu que suas ambições eram grandiosas. Logo de início seu planejamento estratégico já indicava que para dominar o mercado era preciso oferecer um produto de qualidade, neste caso, conteúdos como séries, filmes, documentários entre outros. Um dos pontos que os qualificaria seriam as premiações, principalmente algo fora do seu alcance, o Oscar, blindado pelos preconceitos da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.

O primeiro projeto a chegar perto de seu objetivo foi o documentário “A Praça de Tahrir” (The Square), que conta de maneira subjetiva o momento histórico, acontecido em 2011, da revolta popular no centro de Cairo, capital do Egito, os protestos contra o presidente Hosni Mubarak e seu sucessor Mohamed Mursi. O documentário foi um dos fortes indicados ao Oscar de 2014.

Finalmente em 2018, o primeiro Oscar com o curta-metragem em documentário “Os Capacetes Brancos” que segue a história de um grupo de voluntários que protegem sírios da Guerra Civil Síria.

Mas foi em 2018 que a Netflix, como distribuidora, enfim faturou sua primeira estatueta por um longa-metragem com “Ícaro”. Ainda no formato documentário, o filme investiga a história de Fogel, um ciclista amador que se envolveu em um escândalo mundial de doping.

Ainda em 2018, a Netflix experimentou mais quatro indicações com Mudbound – Lágrimas Sobre o Mississipi (atriz coadjuvante – Mary J. Blige, roteiro adaptado, fotografia e canção original – “Mighty River”), uma com o curta em documentário Heroin(e) e mais uma na categoria de documentário, com Strong Island.

Roma, o primeiro Oscar de um longa-metragem de ficção da Netflix.


Oscar e a Netflix

O Oscar de 2019 foi um marco para a Netflix representado pelo filme Roma. Considerado uma obra de arte do diretor Alfonso Cuarón recebeu dez indicações ao Oscar, ganhando Melhor Diretor, Melhor Filme Estrangeiro e Melhor Fotografia. Com isto a Netflix se consolidou como uma das maiores distribuidora e produtora de conteúdo padrão Oscar.

O triunfo da Netflix, chamou a atenção da indústria cinematográfica tradicional, que considerou uma ameaça em potencial. O diretor Steven Spielberg encabeçou a corrente que quis de toda forma barrar a entrada das plataformas de streaming, que segundo ele estariam rompendo as regras tradicionais da produção e da distribuição de filmes e da corrida pelo Oscar. Spielberg chegou a dizer abertamente que longas da Netflix deveriam, no máximo, ser qualificados como filmes para TV e concorrer ao Emmy, mas não ao Oscar.

Com 24 indicações ao Oscar de 2020 a Netflix conquista Hollywood.


Aberta as portas e os segredos de Hollywood, a Netflix chega com tudo ao Oscar 2020 com 24 indicações. O destaque vai para o Irlandês, com dez indicações. O longa pode levar a estatueta de Melhor Filme e Melhor Diretor.

Oscar Netflix

História de um Casamento vem em segundo em numero de indicações. Além de Melhor Filme, chegam forte com as atuações dos atores Adam Driver, Scarlett Johansson e Laura Dern.

“Dois Papas” também chega com boas chances de confirmar suas qualidades. Apesar de ser uma história adaptada de fatos reais, o drama impressiona por se aproximar dos fatos que levaram a renúncia do Papa Bento e a eleição do papa argentino Francisco.

Confirmando a tradição de produzir bons documentários, a Netflix chega com o filme brasileiro “Democracia em Vertigem” que disputa por Melhor Documentário. Dirigido por Petra Costa, apresenta a ascensão e queda de Lula e sua protegida Dilma Rousseff.

Veja abaixo a relação completa das indicações ao Oscar da Netflix:


  • O Irlandês:
    • Melhor Filme;
    • melhor Direção (Martin Scorsese);
    • Melhor Ator Coadjuvante (Al Pacino);
    • Melhor Ator Coadjuvante (Joe Pesci);
    • Melhor Fotografia;
    • Melhor Figurino;
    • Melhor Montagem;
    • Melhor Efeitos Visuais;
    • Melhor Roteiro Adaptado (Steven Zaillian);
    • Melhor Design de Produção.
  • História de um Casamento:
    • Melhor Filme;
    • Melhor Ator (Adam Driver);
    • Melhor Atriz (Scarlett Johansson);
    • Melhor Atriz Coadjuvante (Luara Dern);
    • Melhor Roteiro Original (Noah Baumbach);
    • Melhor Trilha Sonora Original.
  • Dois Papas:
    • Melhor Ator (Jonathan Price);
    • Melhor Ator Coadjuvante (Anthony Hopkins);
    • Melhor Roteiro Adaptado (Anthoney McCarten).
  • Democracia em Vertigem:
    • Melhor Documentário.
  • Indústria Americana:
    • Melhor Documentário.
  • A Vida em Min:
    • Melhor Documentário em Curta Metragem.
  • Klaus:
    • Melhor Animação.
  • Perdi Meu Corpo:
    • Melhor Animação.

Gostou do post? Então compartilhe na sua rede social preferida e deixe seu comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *